5 erros de quem vai investir no tesouro direto

Em Investimentos e juros por André M. Coelho

Os investidores avessos ao risco geralmente investem uma parcela de seus ativos em títulos do tesouro direto, se tornando uma adição sensata a uma carteira diversificada.

Em certas fases de mercado, o tesouro direto e ações são muitas vezes não correlacionados, para que as perdas em um tipo de investimento possam ser compensadas por ganhos no outro. Além disso, os pagamentos regulares de juros do tesouro direto podem adicionar estabilidade a uma carteira de investimentos.

No geral, investir em tesouro direto pode definitivamente fazer sentido – desde que os investidores evitem alguns erros clássicos.

1. Não exagere as flutuações de taxa de juros ao investir no tesouro direto

As tendências de taxa básica têm um impacto significativo nos preços do tesouro direto. Se as taxas de juros aumentarem, os preços de muitos titulos do tesouro direto caem e vice-versa. Se você investir diretamente em títulos, essas flutuações não podem ser evitadas ao longo do prazo.

Mas a mesma coisa se aplica aqui como com investimentos patrimoniais: a paciência compensa. Se um investidor contém uma ligação à maturidade, o valor nominal completo do título é pago. O investidor alcança o retorno prometido no momento da compra, e qualquer flutuações de preço provisórias não afetam o resultado.

Se o título do tesouro for vendido cedo, a situação é diferente. Nesse caso, dependendo de como o preço do título foi movido, o investidor pode vender a segurança em lucro, mas também em perda. O resultado é, portanto, mais previsível se for mantido até a maturidade.

Cuidados ao aplicar em títulos do Tesouro

Em títulos do tesouro, uma aplicação deve ser muito bem pensada para não cometer erros complicados. (Imagem: Play Crazy Game)

2.  O rendimento do tesouro direto de curta duração

Quando a curva de rendimento é plana, alguns investidores são tentados a mudar de longo prazos para maturidades curtas. Especialistas falam de uma curva de rendimento plana quando os títulos de curta datada têm um rendimento semelhante a ligações longas datadas. Nesse cenário, por que os investidores devem amarrar seus ativos por muito tempo se não forem recompensados ​​por isso?

A resposta tem a ver com distribuição de risco na carteira. As razões para comprar títulos do tesouro são tipicamente o baixo risco e a estabilidade. Se o mercado de ações cai, os preços de títulos datados de longa duração geralmente subam e podem compensar quaisquer perdas. Investidores que mudam cedo demais para títulos datados de curta duração desistem dessa vantagem.

3. Não ignore a inflação com o tesouro direto

Para investidores de obrigações, a taxa de inflação é muito mais importante do que as tendências de taxa de juros a curto prazo. Particularmente para investimentos de longo prazo, existe o risco de que a inflação consome ganhos ao longo do tempo.

Investidores que estão satisfeitos com baixas taxas de juros e não levam em conta a inflação podem perder alguns dos seus ativos.

Pode, no entanto, faz sentido incluir um título de baixos juros em uma carteira amplamente diversificada, para proporcionar uma melhor diversificação de risco, por exemplo. Nesse caso, outros investimentos, como ações e títulos de tesouro direto de alto rendimento devem garantir que o retorno total da carteira exceda a inflação.

4. Não subestime os riscos do tesouro direto

Mesmo o tesouro direto tem riscos que não poderão ser ignorados. Dois dos maiores riscos para os títulos do tesouro direto se encontram na inflação e na liquidez.

No primeiro caso, você pode se proteger diversificando em títulos do tesouro que são atrelados ao IPCA. Assim, você garante uma renda acima da inflação.

Já para o risco de liquidez, ou seja, o quão rápido você pode transformar os títulos em dinheiro, recomendamos que você só invista no Tesouro Direto quando tiver dinheiro sobrando, para que não acabe tendo que sacar o dinheiro com prejuízo.

5. Não confie cegamente nas classificações de risco

Só porque um título do tesouro é categorizado como particularmente seguro por agências de classificação, isso não significa que todos os riscos de crédito sejam excluídos. As agências de classificação podem estar erradas.

Isso vale principalmente para quem está aplicando em títulos internacionais.

Além disso, eles são muitas vezes relativamente lentos para reagir a novos desenvolvimentos. Os investidores devem, portanto, nunca omitir para tornar sua própria avaliação das perspectivas de negócios do emissor antes de investir.

Pesquise, se informe, e veja se os riscos se encaixam dentro da sua estratégia de investimentos.

Vale a pena investir no tesouro direto?

Os títulos do tesouro direto podem contribuir para a diversificação de risco, mas a seleção cuidadosa é essencial. Os investidores devem prestar especial atenção à inflação e dados fundamentais sobre os negócios do emissor. Investidores que querem dormir bem à noite, você também deve pensar a longo prazo e manter ligações à maturidade, independentemente das flutuações de juros.

Para reduzir os riscos padrão, os investidores de títulos não devem colocar todos os ovos em uma cesta. A máxima diversificação reduz significativamente o risco e geralmente leva a retornos mais altos a longo prazo. Os fundos de títulos oferecem uma maneira particularmente boa de alcançar isso.

Ficou alguma dúvida? Deixem nos comentários suas perguntas!

Sobre o autor

Autor André M. Coelho

Dinheiro ou cartão é uma pergunta muito comum nas lojas. A partir desta pergunta e muitas outras, André começou a escrever sobre finanças neste blog. Formado em pedagogia, André é especialista em educação financeira, além de ser consultor financeiro e empresarial. Tem mais de 300 horas de cursos em finanças, empreendedorismo, e orçamento. Há vários anos compartilha seu conhecimento através deste site.

Aviso legal

O conteúdo apresentado no site é apenas informativo com o objetivo de ensinar sobre o funcionamento do mundo financeiro e apresentar ao leitor informações que o ensine a pensar sobre dinheiro. O site Dinheiro ou Cartão não faz recomendações de investimentos e em nenhuma hipótese pode ser responsabilizado por qualquer tipo de resultado financeiro devido a práticas realizadas por seus leitores.

Deixe um comentário