O que é inadimplência?

Escrito na categoria "Negociação de dívidas" por André M. Coelho.

A inadimplência é a falha em pagar uma dívida incluindo juros ou principal de um empréstimo ou título. Uma inadimplência pode ocorrer quando um mutuário não consegue fazer pagamentos pontuais, perde pagamentos ou evita ou interrompe os pagamentos. Indivíduos, empresas e até mesmo países podem ser vítimas da inadimplência se não puderem cumprir suas obrigações de dívida. Os riscos de inadimplência são frequentemente calculados com bastante antecedência pelos credores.

O que é inadimplência?

Uma inadimplência ocorre quando um mutuário não consegue fazer pagamentos pontuais, perde pagamentos ou evita ou deixa de fazer pagamentos inteiramente sobre os juros ou o principal devido.

A inadimplência pode ocorrer em dívidas garantidas, como um financiamento imobiliário garantido por uma casa, ou dívidas não garantidas, como cartões de crédito ou um empréstimo estudantil.

As inadimplências podem ter consequências como pontuação de crédito mais baixa, chances reduzidas de obter crédito no futuro e taxas de juros mais altas sobre a dívida existente, bem como quaisquer novas obrigações.

Inadimplência e seu significado na prática

Pode ocorrer inadimplência em dívidas garantidas, como um financiamento hipotecário garantido por uma casa ou um empréstimo comercial garantido por ativos de uma empresa. Se um mutuário individual deixar de fazer os pagamentos da hipoteca no prazo, o empréstimo pode entrar em default.

Da mesma forma, se uma empresa emite títulos – essencialmente pegando emprestado de investidores – e não consegue fazer pagamentos de cupom aos detentores de títulos, a empresa está inadimplente. Uma inadimplência tem efeitos adversos sobre o crédito do tomador e sua capacidade de tomar empréstimos no futuro.

Mais comumente, a inadimplência ocorre quando um consumidor deixa de pagar suas contas. Pode ser uma fatura de cartão, um boleto, um carnê, etc. A taxa de inadimplência é usada pelos bancos e instituições financeiras para a definição de taxas de juros e a análise de riscos.

O que fazer com inadimplência com garantia?

Quando um indivíduo, uma empresa ou uma nação deixa de cumprir uma obrigação de dívida, o credor ou investidor tem algum recurso para reclamar os fundos que lhes são devidos. No entanto, esse recurso varia de acordo com o tipo de segurança envolvida.

Por exemplo, se um mutuário deixar de pagar uma hipoteca, o banco pode reivindicar a casa garantindo a hipoteca. Além disso, se um tomador de empréstimo deixar de pagar um empréstimo para automóveis, o credor pode retomar a posse do automóvel. Estes são exemplos de empréstimos garantidos. Em um empréstimo garantido, o credor tem uma reivindicação legal sobre o ativo para satisfazer o empréstimo.

Corporações que estão inadimplentes ou quase inadimplentes geralmente entram em processo de concordata para evitar um default total em suas obrigações de dívida. No entanto, se uma empresa vai à falência, ela efetivamente deixa de pagar todos os seus empréstimos e títulos, uma vez que os valores originais da dívida raramente são pagos integralmente.

Os credores com empréstimos garantidos pelos ativos da empresa, como edifícios, estoque ou veículos, podem reclamar esses ativos em vez de reembolso. Se sobrar algum dinheiro, os detentores dos títulos da empresa recebem uma participação neles, e os acionistas são os próximos na fila. Durante a falência de empresas, às vezes é possível chegar a um acordo entre devedores e credores por meio do qual apenas uma parte da dívida é paga.

Inadimplência de pagamentos

A inadimplência ocorre quando os pagamentos não são realizados dentro do prazo correto. (Foto: The Financial Express)

O que fazer na inadimplência financeira sem garantia?

Um default também pode ocorrer em dívidas não garantidas, como contas médicas e dívidas de cartão de crédito. Com a dívida não garantida, nenhum ativo está garantindo a dívida, mas o credor ainda tem recursos legais em caso de inadimplência. As empresas de cartão de crédito costumam dar alguns meses antes de uma conta entrar em inadimplência. No entanto, se depois de alguns meses não houver qualquer pagamento, a conta será negativada, o que significa que o score de crédito perderá pontos.

O banco provavelmente venderia a conta baixada para uma agência de cobrança e o mutuário precisaria reembolsar a agência. Se nenhum pagamento for feito à agência de cobrança, uma ação legal pode ser tomada na forma de penhor ou sentença sobre os ativos do mutuário. Uma garantia de julgamento é uma decisão judicial que concede aos credores o direito de tomar posse da propriedade do tomador, caso eles não cumpram suas obrigações contratuais.

Inadimplência em um empréstimo estudantil

Os empréstimos estudantis são outro tipo de dívida não garantida. Se você deixar de pagar o empréstimo, provavelmente não encontrará uma equipe de policiais na frente de casapara pegar seus bens. Mas ainda é uma ideia muito ruim ignorar essa dívida.

Em muitos aspectos, a inadimplência de um empréstimo estudantil tem as mesmas consequências que não quitar um cartão de crédito. No entanto, em um aspecto fundamental, pode ser muito pior. O governo federal garante a maioria dos empréstimos estudantis, e seu nome ainda poderá ser negativado. Provavelmente não será tão ruim quanto policiais armados à sua porta, mas pode ficar muito desagradável.

Inadimplência é o mesmo que nome sujo?

Não. A inadimplência tem como consequência oi nome sujo, caso a pessoa não pague suas dívidas. O importante mesmo é evitar que a inadimplência se torne um nome sujo.

Um bom primeiro passo é entrar em contato com seu credor assim que perceber que pode ter problemas para manter seus pagamentos. O credor pode trabalhar com você em um plano de reembolso mais viável ou direcioná-lo para um dos programas federais. É importante lembrar que nenhum dos programas está disponível para pessoas cujos empréstimos estudantis foram inadimplentes.

Você pode ter certeza de que os bancos e o governo estão tão ansiosos para receber o dinheiro quanto você para reembolsá-lo. Apenas certifique-se de alertá-los assim que vir um problema potencial à frente. Ignorar o problema só o tornará pior.

Avaliação do risco de inadimplência

Embora seja frequentemente útil considerar toda a distribuição de perdas potenciais e suas respectivas probabilidades, geralmente é conveniente calcular um indicador simples de risco que considera uma única probabilidade de inadimplência e severidade da perda. O indicador é chamado de perda esperada e pode ser calculado da seguinte forma:

Perda esperada = probabilidade padrão x gravidade da perda

A avaliação do risco de inadimplência é uma etapa necessária na avaliação de títulos governamentais e corporativos ou derivativos de crédito. Uma vez que títulos de alta qualidade geralmente vêm com baixas taxas de inadimplência, a avaliação do risco de inadimplência para tais instrumentos é geralmente mais importante do que a estimativa da severidade da perda em caso de inadimplência.

Portanto, o risco de inadimplência é fundamental para determinar o preço e o rendimento dos instrumentos financeiros. Um risco de inadimplência mais alto geralmente corresponde a taxas de juros mais altas, e os emissores de títulos que carregam um risco de inadimplência mais alto muitas vezes têm dificuldade de acesso aos mercados de capitais (o que pode afetar o potencial de financiamento).

Capacidade de empréstimo na análise de risco

Embora a definição de risco de inadimplência seja bastante direta, sua medição não é. O nível de risco de inadimplência depende principalmente da capacidade do mutuário; ou seja, a capacidade do mutuário de fazer os pagamentos da dívida dentro do prazo. A capacidade do mutuário é influenciada por muitos fatores, que são discutidos abaixo.

1. Saúde financeira do devedor

Outras condições sendo iguais, as empresas com altos níveis de dívida em relação aos seus fluxos de caixa, reservas de caixa ou ativos geralmente serão menos solventes do que aquelas com balanços sem dívidas ou débitos leves, ativos líquidos ou altos fluxos de caixa em relação a dívida.
A saúde financeira de um devedor é geralmente avaliada por meio de uma análise aprofundada dos fundamentos, incluindo a análise de lucratividade, fluxos de caixa, índices de cobertura, liquidez e alavancagem.

2. Ciclo econômico e condições da indústria

O desempenho de uma empresa pode ser afetado negativamente por condições econômicas externas ou por problemas que seus clientes ou fornecedores estão enfrentando.

Em tempos de recessão macroeconômica ou fraqueza específica do setor, mesmo empresas relativamente saudáveis ​​podem enfrentar uma deterioração em sua qualidade de crédito e um aumento no risco de inadimplência de seus títulos.

Por outro lado, durante um boom econômico ou um período muito bom para um setor específico, mesmo as empresas com uma saúde financeira relativamente ruim e uma posição competitiva fraca podem experimentar uma melhoria na qualidade de crédito e uma redução no risco de inadimplência.

3. Risco de moeda

Se uma empresa tem dívidas em uma moeda, mas gera fluxos de caixa em outra, ela estará exposta aos efeitos das flutuações cambiais.
A alta volatilidade nos mercados de câmbio, se não for adequadamente coberta, pode exercer um impacto significativo na estabilidade financeira e na qualidade de crédito de uma empresa.

4. Fatores políticos e estado de direito

Questões geopolíticas, como guerra, mudanças de regime ou um ambiente corrompido podem tornar mais difícil para um detentor de dívidas coletar pagamentos de forma eficaz e eficiente ou fazer cumprir seus direitos como credor.

Em outras condições mantidas iguais, os títulos emitidos por empresas em países com um ambiente sociopolítico conturbado ou incerto acarretarão um risco de inadimplência maior do que os títulos emitidos por empresas em ambientes mais estáveis ​​e previsíveis.

5. Outros riscos

Alguns riscos podem ser mais difíceis e, às vezes, impossíveis de medir. Os exemplos incluem risco de litígio, risco ambiental e exposição a desastres naturais.

Consequências da inadimplência

Quando um mutuário deixa de cumprir um empréstimo, as consequências podem incluir:

Comentários negativos no relatório de crédito do mutuário e redução da pontuação de crédito, que é um valor numérico ou medida da qualidade de crédito do mutuário

Chances reduzidas de obtenção de crédito no futuro

Taxas de juros mais altas sobre a dívida existente, bem como qualquer nova dívida

Penhora de bens e finanças. Penhora se refere a um processo legal que instrui um terceiro a deduzir os pagamentos diretamente do salário do mutuário ou da conta bancária.

Quando os emissores de títulos ficam inadimplentes ou exibem outros sinais de má gestão de crédito, as agências de classificação reduzem suas classificações de crédito. As agências de classificação de crédito de títulos medem a qualidade de crédito de títulos corporativos e governamentais para fornecer aos investidores uma visão geral dos riscos envolvidos no investimento em títulos.

A classificação de crédito de uma empresa e, em última instância, a classificação de crédito do título impacta a taxa de juros que os investidores receberão. Uma classificação mais baixa também pode impedir uma empresa de emitir novos títulos e levantar o dinheiro necessário para financiar as operações comerciais.

As agências de classificação de crédito normalmente atribuem notas de letras para indicar classificações. A Standard & Poor’s, por exemplo, tem uma escala de classificação de crédito que varia de AAA (excelente) a C e D. Um instrumento de dívida com uma classificação abaixo de BB é considerado um grau especulativo ou um junk bond, o que significa que é mais provável que inadimplência em empréstimos.

Você já foi inadimplente em algum momento? Como fez para pagar suas dívidas?

Sobre o autor

Autor André M. Coelho

Dinheiro ou cartão é uma pergunta muito comum nas lojas. A partir desta pergunta e muitas outras, André começou a escrever sobre finanças neste blog. Formado em pedagogia, André é especialista em educação financeira, além de ser consultor financeiro e empresarial. Tem mais de 300 horas de cursos em finanças, empreendedorismo, e orçamento. Há vários anos compartilha seu conhecimento através deste site.

Aviso legal

O conteúdo apresentado no site é apenas informativo com o objetivo de ensinar sobre o funcionamento do mundo financeiro e apresentar ao leitor informações que o ensine a pensar sobre dinheiro. O site Dinheiro ou Cartão não faz recomendações de investimentos e em nenhuma hipótese pode ser responsabilizado por qualquer tipo de resultado financeiro devido a práticas realizadas por seus leitores.

Deixe um comentário