Se você deseja comprar ações na Bovespa – a bolsa de valores de São Paulo – deve saber o que é uma operação a vista. Operação a vista é a compra ou venda de uma determinada quantidade de ações com preço estabelecido no pregão. Portanto, quando um negócio é fechado, o comprador deve pagar o valor negociado e o vendedor deve entregar as ações da transação no período estabelecido pela Bovespa e pela Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia, conhecida como CBLC.

As ações são todos os tipos de ações pertencentes a empresas negociadas na Bovespa. Todas essas ações podem ser compradas ou vendidas por investidores. Os preços estabelecidos nas transações de compra são formados em pregão – o que significa que são compostos pela dinâmica das forças de oferta e demanda. Isso garante que os preços cotados sejam indicadores confiáveis ​​do valor que o mercado atribui a diferentes tipos de ações.

Há custos envolvidos na negociação de ações, incluindo os emolumentos. Vamos explicar em detalhes.

Como comprar ações na Bovespa?

As ações são negociadas no mercado de ações. No Brasil, a compra e venda de ações ocorre na Bovespa. Essas negociações são feitas através de corretoras credenciadas pela Comissão de Valores Mobiliários, conhecida como CVM.

Se você planeja realizar negócios no mercado de ações, precisará de uma corretora para atuar como intermediária nas negociações. Você precisará se registrar em uma corretora, fornecendo os seguintes detalhes:

  • Nome
  • Ocupação
  • Endereço
  • Identidade e CPF
  • Comprovante de residência

Após enviar esses detalhes, a corretora abrirá uma conta para você na Bovespa. A corretora atuará como seu representante, executando seus pedidos de compra de ações por meio de um representante ou operador.

A empresa também pode autorizá-lo a registrar seus pedidos no Sistema Eletrônico de Negociação, usando o Home Broker da corretora. Isso permitirá que você compre ações pela internet.

Como participar da Bolsa de Valores?

Os investidores podem participar do mercado de três maneiras:

  • Individualmente
  • Você declara sua intenção de participar de uma corretora, que será seu intermediário nas negociações.
  • Coletivamente

Se você estiver interessado em participar coletivamente, deve adquirir ações de:

Clubes de investimento: um grupo de amigos ou familiares pode formar um clube de investimento. O clube deve ter no mínimo 3 associados e no máximo 150. Esse tipo de organização coletiva é menos formal e rigorosa do que um fundo de ações.

Fundos de ações: os fundos funcionam como pessoa jurídica. Cada um dos investidores possui uma cotação de ações, que corresponde a uma parte do total de ações que o fundo possui. Cada fundo tem seu próprio estatuto, que estabelece suas regras e o grau de risco de seus investimentos. O fundo precisa ter um gerente que coordene as compras de ações. Portanto, quando você participa de um fundo, deve estar de acordo com sua política de investimento.

Ambos os tipos de investimentos coletivos – administrados por corretoras e outras instituições – são associações de investidores com um objetivo comum, que é investir em um portfólio diversificado de ações.

Definição de emolumentos

Emolumentos são custos envolvidos na negociação de ações na Bolsa de Valores. (Foto: G1)

Como negociar ações?

No passado, o Brasil tinha duas maneiras de negociar ações na Bovespa:

Viva voz: representantes de corretoras anunciaram suas ofertas em voz alta, especificando o nome da empresa, o tipo, a quantidade e o preço de compra das ações. Nesse tipo de negociação, apenas ações com grande liquidez foram negociadas.

Sistema Eletrônico de Negociação: o sistema permite que as corretoras sigam os comandos de seus clientes remotamente. A oferta de compra é feita através de um sistema de computador, e o fechamento do negócio é feito automaticamente através dos computadores da Bovespa.

O sistema de negociação do Viva voz não está mais sendo usado no Brasil. Desde 1999, o Home Broker foi implementado para facilitar o sistema eletrônico de negociação. O Home Broker é um canal social entre investidores e parcerias de corretagem que facilita e simplifica as negociações no mercado de ações.

O canal permite a entrega de comandos de estoques de compras via Internet, além de possibilitar o acesso a cotações e outras informações.

Ordens de compra de ações

No Brasil, você compra ações dando um pedido. Abaixo, mostramos os tipos de pedidos e suas definições.

Ordem a Mercado

O investidor especifica apenas a quantidade e as características das ações que deseja comprar. A corretora terá que seguir a ordem do investidor imediatamente após o recebimento da ordem.

Ordem Administrada

O investidor especifica apenas a quantidade e as características das ações que ele deseja comprar, mas a execução do pedido é uma escolha feita pela corretora.

Ordem Discricionária

A pessoa particular ou pessoa jurídica que administra as ações de um investidor cliente, estabelece as condições em que o pedido de compra deve ser executado e, posteriormente, indicará o nome do investidor ou investidores, quantidade de ações e seus valores e preço.
Ordem Limitada A operação será executada por preço igual ou superior ao indicado pelo investidor.

Ordem Casada

Esse pedido é composto por um pedido de compra de ações e outro para vender outras ações. A operação só pode ser realizada se as duas transações forem executadas.

Ordem de Financiamento

Consiste na compra imediata de muitas ações e na venda imediata delas em um mercado a termo.

Ordem On-Stop

É a ordem que especifica o nível do preço a partir do qual a ordem deve ser executada.

Como acompanhar suas ações?

É possível acompanhar o andamento de suas transações no mercado à vista – durante o dia de negociação – através de:

  • Página da Bovespa
  • Canais de informação
  • Telefone, pelo serviço Disque Bovespa

Também é possível monitorar as informações relevantes sobre negociações fora do horário comercial – no Boletim de Informações Diárias da Bolsa de Valores, mais conhecido como BDI, e em jornais de circulação geral.

O que são emolumentos e outras taxas da Bovespa?

Alguns impostos são cobrados sobre as operações realizadas no mercado de ações, como:

Taxa de operação: cobrada toda vez que um pedido de compra é criado por um investidor.

Imposto de custódia: cobrado mensalmente pela corretora que cuida de suas ações – a corretora pode optar por cobrar ou não esse imposto.

Taxa de corretagem: cobrada quando o pedido é feito por telefone. É calculado de acordo com os valores da operação.

Emolumentos: cobrado pela Bovespa – calculado sobre o valor de compra e venda de ações.

Taxa administrativa: cobrada em clubes ou fundos de investimento – cobrada anualmente em relação ao valor investido no clube ou fundo.

Imposto sobre o desempenho: cobrado quando o fundo de investimento ultrapassa a lucratividade esperada.

Exceto pelo imposto sobre emolumentos cobrado pela Bovespa, o valor dos outros impostos varia de acordo com a corretora escolhida. Portanto, antes de escolher uma corretora é muito importante pesquisá-las minuciosamente.

Ficou alguma dúvida? Deixem nos comentários suas perguntas!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)