Não é novidade que a inflação tenha sido um problema nos últimos anos da ditadura brasileira, nas décadas de 1980 e 1990. Mas, não foi só nesse período que o Brasil enfrentou a inflação. Por muitos anos, o país tem sido vítima dele e, por essa razão, em 1939, o índice de inflação brasileiro passou a ser calculado.

Introdução ao IPC: o que é?

IPC, a abreviação dada ao Índice de Preços ao Consumidor do Brasil, é a medida da inflação no país. O índice mede a variação de preços de um conjunto fixo de bens e serviços que compõem o gasto de famílias brasileiras normais, com níveis de renda entre 1 e 33 salários mínimos mensais. A pesquisa de preços para o IPC é feita diariamente, abrangendo as sete principais capitais do Brasil:

  • São paulo
  • Rio de Janeiro
  • Belo Horizonte
  • Salvador
  • Recife
  • Porto Alegre
  • Brasília

Na tabela disponível no Banco Central do Brasil, é possível observar a variação do IPC nos últimos anos.

Como o IPC é calculado?

Nos anos de 2008 e 2009, uma Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) foi realizada pelo IBGE. O gasto do consumidor brasileiro obtido com a pesquisa agora funciona como base de cálculo do IPC. Com as informações coletadas pela POF, foram criadas estruturas de ponderação, mostrando o valor monetário dos componentes de bens e serviços da amostra do IPC em termos percentuais. Os bens e serviços incluídos na amostra foram classificados em oito grupos ou divisões, 25 subgrupos, 85 itens e 338 subitens, sendo as oito principais classes de gastos como:

  • Comida
  • Habitação
  • Roupas
  • Saúde e Cuidados Pessoais
  • Educação
  • Leitura e Recreação
  • Transporte
  • Comunicação
  • Despesas Diversas.

Mas, não é apenas a POF que é considerada para o cálculo do IPC, outros dois índices também foram levados em consideração:

  • Índice de Preços ao Consumidor para os Idosos (IPC – 3i): mede a variação nos preços de bens e serviços, para as famílias compostas principalmente por pessoas com mais de 60 anos.
  • Índice de Preços ao Consumidor – Classe 1 (IPC – C1): funciona como um indicador mensal, medindo a variação dos preços de uma cesta de bens e serviços, para famílias com renda entre 1 e 2,5 salários mínimos mensais.

Existem mais tipos de índices de inflação

No Brasil, muitos índices desse tipo foram criados durante a década de 1950, devido à criação do salário mínimo. Todos eles têm a mesma função principal: trabalhar como ferramentas para medir a variação de preços e seu impacto no mercado e no custo de vida da população. A diferença entre todos esses índices está relacionada principalmente a:

  • Os produtos que cada um deles inclui
  • O público avaliado pelo índice
  • O período em que as medidas são feitas
  • O organismo ou instituto que realiza a pesquisa

Os índices mais importantes são calculados pelo IBGE, pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas da Universidade de São Paulo (Fipe-USP), durante o 1º e o 30º dia de cada mês.

Os índices de inflação são muito importantes para as pessoas envolvidas nos contratos. Acordos como aluguéis e serviços são geralmente ajustados de acordo com as variações do IPC, o que torna fundamental que as pessoas conheçam os índices e monitorem seus números ao longo do ano.

Definição do IPCA

O IPCA é uma das formas usadas pelo mercado para monitorar a inflação para o consumidor brasileiro. (Foto: Vimeo)

O que é o índice IPC-Fipe?

Foi nomeado pela primeira vez como Índice Ponderado de Custo de Vida da classe trabalhadora de São Paulo, sendo conhecido apenas pelo seu nome atual em 1972: IPC-Fipe, índice de preços ao consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas.

O IPC-Fipe é calculado pela Fipe, cobrindo um período de oito semanas de coleta. Em cada período de quatro semanas, as variações são obtidas dividindo-se os preços médios das últimas quatro semanas (referência) pelos preços médios das quatro semanas que os precederam (base).

O que é o índice IPCA e o índice INPC?

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, mais conhecido como IPCA, é medido pelo IBGE entre o 1º e os 30º dias de cada mês. Os preços utilizados para o cálculo são os recolhidos em estabelecimentos comerciais, em prestadores de serviços, em residências, para fins de verificação de preços de aluguéis – e em empresas concessionárias de serviços públicos.

O índice é o mais famoso do país, está relacionado às metas estabelecidas pelo governo federal brasileiro. O IPCA reflete o custo de vida das famílias de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Salvador, Recife, Fortaleza, Belém, Distrito Federal e Goiânia com renda mensal compreendida entre 1 e 40 salários mínimos.

Para cobrir um baixo nível de renda não abrangido pelo IPCA, o INPC também é calculado pelo IBGE. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor mede o custo de vida de famílias com renda de até 6 salários mínimos mensais.

O que é o IGP-M?

Os índices medidos pela FGV também são importantes para o país. O principal índice calculado por essa instituição é o IGP-M, o Índice Geral de Preços de Mercado. É muito útil na correção de aluguéis e tarifas públicas, como o cálculo das contas de energia elétrica. O índice funciona para todos os níveis de renda e é medido do 21º dia do mês até o 20º dia do mês seguinte. O IGP-M calcula a inflação de diversos preços, desde os insumos agrícolas e industriais até os bens e serviços finais.

Esperamos não ter deixados dúvidas sobre os índices de inflação no Brasil. Caso tenha alguma dúvida, deixe nos comentários suas perguntas e iremos responder.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)