O Boleto Bancário é um método de pagamento que só existe no Brasil e é regulamentado pela Federação Brasileira de Bancos, a Febraban. O boleto possui um código de barras e número de série que controlam os processos de pagamento até a data de vencimento.

Para emitir um boleto bancário, geralmente o banco ou instituição financeira cobra um valor fixo do vendedor ou da empresa para a emissão de cada boleto. Esse custo, porém, pode ser repassado ao consumidor?

Por que emitir boleto bancário?

Esse pagamento alternativo é muito popular no Brasil porque é fácil de usar e os clientes não precisam ter uma conta bancária para usá-lo. Por esse motivo, diversas empresas podem usar esse método de pagamento, que é especialmente popular entre os consumidores digitais que ainda não se sentem à vontade comprando online com cartão de crédito ou sem conta bancária.

Todo consumidor brasileiro já compra mercadorias com esse método de pagamento. Ele está na cultura local há décadas e, por esse motivo, a maioria dos consumidores brasileiros considera o boleto bancário familiar e confiável. Além de ser simples de entender, esse pagamento em dinheiro não tem taxa de estorno e elimina os riscos de fraude durante a transação digital.

Ao oferecer essa opção como forma de pagamento, os comerciantes podem aumentar as vendas no mercado digital em pouco tempo.

Cobrar boleto

Entenda a cobrança de boletos para não ser surpreendido com cobranças de fornecedores. (Foto: Ocana Contabilidade)

Quanto custa criar um boleto bancário?

Bancos digitais possibilitam que seus clientes possam emitir e criar boletos bancários sem custos até um número limite de boletos por mês. Bancos físicos podem incluir a geração de boletos em um pacote de serviços ou cobrar valores fixos ou variáveis de acordo com o volume de boletos que você ou sua empresa emitem mensalmente.

O fornecedor ou empresa pode cobrar ao gerar boleto de cobrança?

Não. O valor da geração do boleto de cobrança não pode ser cobrado do consumidor, sela ele pessoa física ou pessoa jurídica. Como é um custo de operação do negócio, esse custo não pode ser cobrado do consumidor. O que o vendedor ou empresa cobrando pode fazer é incluir a geração de boletos nos custos e cobranças, desde que o valor se mantenha o mesmo para boletos e outros tipos de pagamentos.

Como cobrar clientes?

Para fornecedores e empresas, a melhor maneira de evitar que os clientes atrasem os pagamentos é estabelecer um contrato adequado. Existem várias razões para fazer isso. Depois de assinar o contrato, vocês dois terão obrigações legais e, desde que façam seu trabalho corretamente e sigam os termos do contrato, estarão bem. Você estará protegido por lei contra clientes que não pagam suas contas em dia.

Também é comum definir uma taxa de atraso no pagamento, que exige que seus clientes paguem mais se eles fizerem você esperar pelo pagamento. É um sinal de negligência parcial do contrato.

E claro, é necessário estabelecer no contrato qual será a forma de pagamento.

Comunicação é a chave do negócio!

Outro fator importante é a comunicação entre clientes, fornecedores e empresas. Como você já deve ter ouvido, a comunicação é a chave, e isso é verdade! É sempre bom enviar lembretes e atualizações amigáveis aos seus clientes e pedir-lhes educadamente que paguem suas faturas. E é importante também oferecer diferentes opções de pagamento, para que os clientes possam escolher.

Você não deve pensar no pior e nunca sabe com que facilidade alguém pode esquecer algo no meio de uma agenda cheia. O atraso pode não ser intencional, portanto não o trate como é. Lembre-se também que outras formas de pagamento podem dar mais flexibilidade a um cliente que precisa usar diferentes formas de pagamentos.

O que acham dos boletos? Vocês usam? Como fazem para cobrar os clientes?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)