Como fazer uma transferência pelo PIX?

Escrito na categoria "Contas em bancos" por André M. Coelho.

Desde 16 de novembro de 2020, PIX, o novo sistema de pagamento do Banco Central do Brasil, está operando, mudando a maneira como fazemos pagamentos e transferências. Mas é Pix completamente confiável? Como podemos ter certeza de que as contas e transferências são seguras com o novo sistema de pagamento online e disponíveis 24 horas, 7 dias por semana.

Neste texto, discutiremos o que é, como o PIX funciona, e qual é o nível de segurança do sistema que, de acordo com os especialistas, deve substituir os métodos tradicionais de transferências bancárias e até mesmo cartões de débito.

O que é um PIX?

O PIX é um sistema de pagamento e transferência que oferece transações pagas dentro de 10 segundos, 24 horas por dia, sete dias por semana. Isso significa que, com pix, não há mais horas de negócios ou dias úteis para transações bancárias. Isso vale tanto para pessoas físicas quanto pessoas jurídicas.

Como transferir dinheiro com o PIX?

A pessoa registra um código associado ao seu número de conta bancária, endereço de email ou número de celular, que é uma chave PIX. Ao entrar na chave, os fundos são transferidos para a conta do beneficiário, sem a necessidade de entrar na conta bancária e dados de ramificação ou informar o Banco.

Para empresas, o mesmo princípio se aplica. A diferença é que as empresas podem registrar 20 chaves Pix por conta (para indivíduos, é de cinco por conta). Este código de transferência ou chave pode ser o seu número de telefone celular, ID do contribuinte corporativo (CNPJ) ou qualquer outra chave que você define, se não repetida, para não confundir a conta do destinatário da transferência.

O pagamento ainda é possível a uma conta bancária, mesmo que alguém não saiba se o beneficiário tem uma chave registrada ou não.

Transferência PIX

Faça sua transferência do PIX com passos simples para começar a usar este sistema com eficiência. (Imagem: BC)

Segurança na transferência PIX

Naturalmente, um novo sistema de pagamento pode causar incerteza para pessoas e empresas, especialmente quando se trata de segurança das transações. Entre as principais preocupações é a proteção contra criminosos que poderiam assumir a identidade do consumidor usando PIX para receber e enviar fundos, ou mesmo interceptar as informações dessas transações para obter os dados dos contas.

Nesta prática, o Banco Central exigiu que as instituições financeiras usem modelos de autenticação (biometria, reconhecimento facial ou código), da mesma forma que para outros métodos de pagamento, como transferências bancárias tradicionais.

Essas instituições de pagamento criam seus sistemas de segurança para garantir que as operações sejam realizadas com a autorização das partes.

Além de ações descomplicadas, já praticadas em outros sistemas de pagamento, algumas medidas de segurança são usadas exclusivamente para PIX. Um deles é os motores antifraude, operados pelas instituições financeiras que oferecem o serviço. Esses motores impedem transações incomuns, por exemplo, com valores acima daqueles praticados pelo usuário. Estas transferências são retidas por 30 minutos para análise (durante a noite, são 60 minutos). Se não forem confirmados, as transações são canceladas.

Pix possui, em seu banco de dados, mecanismos de proteção que impedem a exclusão completa de informações, além dos marcadores de fraude, nos quais a transação e o fraudador são marcados, em suspeitas ou em casos confirmados de fraude, e identificados por todas as instituições financeiras que participam do sistema.

PIX: como usar passo a passo?

Passo 1: cadastro

A pessoa que vai receber o PIX precisa cadastrar a chave do PIX na conta ou instituição financeira. Ela pode escolher CPF, celular, email, ou uma chave aleatória.

Passo 2: PIX

A pessoa que vai transferir precisa escolher a opção PIX no app, internet banking, ou caixa eletrônico.

Passo 3: dados do PIX

Quem vai transferir o dinheiro via PIX precisa digitar a chave PIX, inserir o valor, e transferir o dinheiro.

Simples, não é?

Inovação e segurança do PIX

A PIX é um modelo de pagamento que promete tornar a vida muito mais fácil para aqueles que pagam, emitem avisos de descarga ou recebem pagamentos. Com a conveniência de 24×7 pagamentos instantâneos, o sistema deve substituir os métodos tradicionais de transferência bancária.

Apesar das dúvidas que cercam o novo formato de pagamento, a PIX oferece proteção aos usuários por meio de uma verificação de dois estágios, transferência de criptografia e análise de fraude. É para os consumidores e empresários gerenciarem seus dados e as chaves Pix para garantir uma transferência segura e suave.

Ficou alguma dúvida? Deixem nos comentários suas perguntas e iremos responder!

Sobre o autor

Autor André M. Coelho

Dinheiro ou cartão é uma pergunta muito comum nas lojas. A partir desta pergunta e muitas outras, André começou a escrever sobre finanças neste blog. Formado em pedagogia, André é especialista em educação financeira, além de ser consultor financeiro e empresarial. Tem mais de 300 horas de cursos em finanças, empreendedorismo, e orçamento. Há vários anos compartilha seu conhecimento através deste site.

Aviso legal

O conteúdo apresentado no site é apenas informativo com o objetivo de ensinar sobre o funcionamento do mundo financeiro e apresentar ao leitor informações que o ensine a pensar sobre dinheiro. O site Dinheiro ou Cartão não faz recomendações de investimentos e em nenhuma hipótese pode ser responsabilizado por qualquer tipo de resultado financeiro devido a práticas realizadas por seus leitores.

Deixe um comentário