Se o pensamento de investir no mercado de ações te assusta, você não está sozinho. Indivíduos com experiência muito limitada em investimento em ações estão aterrorizados por histórias de horror do investidor médio perder 50% do valor de suas carteiras ou são seduzidos por “dicas quentes” que trazem a promessa de grandes recompensas, mas raramente compensam. Não surpreende, portanto, que se diga que o pêndulo do sentimento de investimento oscila entre o medo e a ganância.

A realidade é que investir no mercado de ações acarreta riscos, mas quando abordado de maneira disciplinada, é uma das maneiras mais eficientes de aumentar o patrimônio líquido. Embora o valor da casa de uma pessoa geralmente seja responsável pela maior parte do patrimônio líquido do indivíduo médio, a maioria dos ricos e muito ricos geralmente tem a maior parte de sua riqueza investida em ações. Para entender a mecânica do mercado de ações, vamos começar nos aprofundando na definição de uma ação e seus diferentes tipos.

O que é uma ação?

Uma ação ou ação (também conhecida como “patrimônio líquido”) é um instrumento financeiro que representa a propriedade de uma empresa ou corporação e representa uma reivindicação proporcional sobre seus ativos (o que ela possui) e ganhos (o que gera lucros).

A posse de ações implica que o acionista detém uma fatia da empresa igual ao número de ações detidas como proporção do total de ações em circulação da empresa. Por exemplo, um indivíduo ou entidade que possui 100.000 ações de uma empresa com 1 milhão de ações em circulação teria uma participação acionária de 10%. A maioria das empresas possui ações em circulação que chegam a milhões ou bilhões.

Tipos de ações

Embora existam dois tipos principais de ações – ordinárias e preferenciais – o termo “ações” é sinônimo de ações ordinárias, já que seu valor de mercado combinado e volumes de negociação são muitas magnitudes maiores do que as ações preferenciais.

A principal distinção entre os dois é que as ações ordinárias geralmente têm direitos de voto que permitem ao acionista comum ter uma palavra a dizer em reuniões corporativas – onde assuntos como eleição para o conselho de administração ou nomeação de auditores são votadas – enquanto as ações preferenciais geralmente não tem direito a voto. As ações preferenciais são assim denominadas porque têm preferência sobre as ações ordinárias de uma empresa para receber dividendos, bem como ativos em caso de liquidação.

As ações ordinárias podem ser ainda classificadas em termos de seus direitos de voto. Enquanto a premissa básica das ações ordinárias é que elas devem ter direitos de voto iguais – um voto por ação detida – algumas empresas tem classes de ações duplas ou múltiplas com direitos de voto diferentes associados a cada classe. Em tal estrutura de classe dupla, as ações Classe A, por exemplo, podem ter 10 votos por ação, enquanto as ações de “voto subordinado” Classe B podem ter apenas um voto por ação. Estruturas de ações de classe dupla ou múltipla são projetadas para permitir que os fundadores de uma empresa controlem suas fortunas e sua direção estratégica.

Bolsa de Valores

Entenda a Bolsa de Valores e veja como seus investimentos podem render nessa modalidade. (Foto: MarketWatch)

Por que uma empresa emite ações na bolsa de valores?

O gigante corporativo de hoje provavelmente teve seu início como uma pequena entidade privada lançada por um fundador visionário algumas décadas atrás. Gigantes da tecnologia como Bill Gates, Steve Jobs, entre outros estão entre as maiores empresas do mundo graças à Bolsa de Valores.

No entanto, crescer em ritmo tão frenético requer acesso a uma enorme quantidade de capital. Para fazer a transição de uma ideia germinando no cérebro de um empreendedor para uma empresa operacional, ele precisa alugar um escritório ou uma fábrica, contratar funcionários, comprar equipamentos e matérias-primas e colocar em funcionamento uma rede de vendas e distribuição, entre outros. outras coisas. Esses recursos exigem quantidades significativas de capital, dependendo da escala e do escopo do início do negócio.

Uma startup pode levantar esse capital vendendo ações (financiamento de capital) ou tomando dinheiro emprestado (financiamento de dívida). O financiamento da dívida pode ser um problema para uma startup porque pode ter poucos ativos para garantir um empréstimo – especialmente em setores como tecnologia ou biotecnologia, onde uma empresa tem poucos ativos tangíveis – além de os juros sobre o empréstimo imporem um encargo financeiro em nos primeiros dias, quando a empresa pode não ter receitas ou ganhos.

O financiamento de capital, portanto, é o caminho preferido para a maioria das startups que precisam de capital. O empreendedor pode inicialmente obter recursos de poupança pessoal, assim como amigos e familiares, para tirar o negócio do chão. À medida que o negócio se expande e as exigências de capital se tornam mais substanciais, o empreendedor pode recorrer a investidores-anjo e empresas de capital de risco.

Quando a empresa se estabelece, pode exigir acesso a quantias muito maiores de capital, o que pode ser feito vendendo ações ao público por meio de uma oferta pública inicial (IPO). Isso muda o status da empresa de uma empresa privada cujas ações são detidas por alguns acionistas para uma empresa de capital aberto cujas ações serão detidas por vários membros do público em geral. O IPO também oferece aos primeiros investidores na empresa uma oportunidade de sacar parte de sua participação, muitas vezes obtendo recompensas muito bonitas no processo.

Quando as ações da empresa forem listadas em uma bolsa de valores e a negociação começar, o preço dessas ações flutuará à medida que investidores e negociadores avaliam e reavaliam seu valor intrínseco. Há muitas taxas e métricas diferentes que podem ser usadas para avaliar estoques, dos quais a medida mais popular é provavelmente a relação Preço / Lucro (ou PE). A análise de ações também tende a cair em um dos dois campos – análise fundamental ou análise técnica.

Por que os preços das ações flutuam?

O mercado global é composto por milhões de investidores e negociantes, que podem ter idéias diferentes sobre o valor de uma ação específica e, portanto, sobre o preço pelo qual estão dispostos a comprar ou vender. As milhares de transações que ocorrem à medida que esses investidores e negociadores convertem suas intenções em ações, comprando e / ou vendendo uma ação acionária, minuto a minuto, girando ao longo de um dia de negociação. Uma bolsa de valores fornece uma plataforma onde tal negociação pode ser facilmente conduzida por compradores e vendedores de ações correspondentes. Para a pessoa média ter acesso a essas trocas, eles precisariam de um corretor de ações. Este corretor atua como intermediário entre o comprador e o vendedor. Conseguir um corretor é mais comumente realizado através da criação de uma conta com um corretor de valores bem estabelecido.

O mercado de ações também oferece um exemplo fascinante das leis de oferta e demanda no trabalho em tempo real. Para cada transação de ações, deve haver um comprador e um vendedor. Por causa das leis imutáveis ​​de oferta e demanda, se houver mais compradores para uma ação específica do que os vendedores dela, o preço das ações subirá. Por outro lado, se houver mais vendedores do estoque do que compradores, o preço diminuirá.

O spread bid-ask ou bid-offer, que é a diferença entre o preço de compra de uma ação e seu preço de venda ou oferta, representa a diferença entre o preço mais alto que um comprador está disposto a pagar ou licitar por uma ação e o preço mais baixo qual vendedor está oferecendo o estoque. Uma transação comercial ocorre quando um comprador aceita o preço pedido ou um vendedor aceita o preço da oferta. Se os compradores superam os vendedores, eles podem estar dispostos a aumentar suas ofertas para adquirir as ações; os vendedores, portanto, pedirão preços mais altos por isso, aumentando o preço. Se os vendedores superam os compradores, eles podem estar dispostos a aceitar ofertas menores para as ações, enquanto os compradores também reduzirão seus lances, forçando efetivamente o preço para baixo.

Venda de Ações Abertas e Sistemas de Negociação Informatizados

A correspondência de compradores e vendedores de ações em uma bolsa foi inicialmente feita manualmente, mas agora é cada vez mais realizada por meio de sistemas de negociação informatizados. O método manual de negociação baseava-se em um sistema conhecido como “open outcry”, em que os operadores usavam comunicações verbais e manuais para comprar e vender grandes blocos de ações no pregão de uma bolsa.

No entanto, o sistema de créditos abertos foi substituído por sistemas de negociação eletrônica na maioria das bolsas. Esses sistemas podem combinar compradores e vendedores com muito mais eficiência e rapidez do que os seres humanos, resultando em benefícios significativos, como menores custos de transação e execução mais rápida do comércio.

Por que investir em ações na Bolsa de Valores?

Numerosos estudos mostraram que, durante longos períodos de tempo, as ações geram retornos de investimento superiores aos de todas as outras classes de ativos. Os retornos de ações surgem de ganhos de capital e dividendos. Um ganho de capital ocorre quando você vende uma ação a um preço mais alto do que o preço pelo qual você a comprou. Um dividendo é a parte do lucro que uma empresa distribui aos seus acionistas. Os dividendos são um componente importante dos retornos das ações.

Enquanto o fascínio de comprar uma ação semelhante de uma empresa promissora numa fase muito precoce é uma das perspectivas mais tentadoras do investimento em ações, na realidade, tais investimentos são poucos e distantes entre si. Os investidores que querem mudar para as proteções com as ações em seus portfólios devem ter uma maior tolerância ao risco; esses investidores estarão dispostos a gerar a maior parte de seus retornos de ganhos de capital em vez de dividendos. Por outro lado, os investidores que são conservadores e precisam do rendimento de suas carteiras podem optar por ações que tenham um longo histórico de pagamento de dividendos substanciais.

Classificação de ações na Bolsa de Valores

Embora as ações possam ser classificadas de várias maneiras, duas das mais comuns são por capitalização de mercado e por setor. A capitalização de mercado refere-se ao valor total de mercado das ações em circulação da companhia e é calculada pela multiplicação dessas ações pelo preço de mercado atual de uma ação. Embora a definição exata possa variar dependendo do mercado;

O padrão da indústria para classificação de ações por setor é o Global Industry Classification Standard (GICS), desenvolvido pela MSCI e pela S & P Dow Jones Indices em 1999 como uma ferramenta eficiente para capturar a abrangência, profundidade e evolução dos setores industriais. O GICS é um sistema de classificação setorial de quatro níveis que consiste em 11 setores e 24 grupos industriais. Os 11 setores são:

  • Energia
  • Materiais
  • Industriais
  • Discricionário para o consumidor
  • Básicos do consumidor
  • Cuidados de saúde
  • Finanças
  • Tecnologia da informação
  • Serviços de comunicação
  • Serviços de utilidade pública
  • Imobiliário

Essa classificação setorial facilita para os investidores adaptar suas carteiras de acordo com sua tolerância ao risco e preferência de investimento. Por exemplo, os investidores conservadores com necessidades de renda podem pesar seus portfólios em direção a setores cujas ações constituintes têm melhor estabilidade de preços e oferecem dividendos atrativos – os chamados setores “defensivos”, como produtos básicos de consumo, assistência médica e serviços públicos. Investidores agressivos podem preferir setores mais voláteis, como tecnologia da informação, finanças e energia.

Prós e Contras da Bolsa de Valores

Até recentemente, o objetivo final de um empreendedor era fazer com que sua empresa fosse listada em uma bolsa de valores de renome, como a Bolsa de Nova York (NYSE). a Nasdaq, ou a Bovespa por causa dos benefícios óbvios. A listagem na Bolsa significa liquidez imediata para ações detidas pelos acionistas da empresa. Isso permite que a empresa capte recursos adicionais emitindo mais ações. O fato de ter ações negociadas em bolsa torna mais fácil a criação de planos de opções de ações necessários para atrair funcionários talentosos, empresas listadas tem maior visibilidade no mercado; A cobertura de analistas e a demanda de investidores institucionais podem elevar o preço das ações.

As ações listadas podem ser usadas como moeda pela empresa para fazer aquisições em que parte ou toda a contrapartida é paga em estoque.
Esses benefícios significam que a maioria das grandes empresas é pública e não privada; e grandes empresas privadas são a exceção e não a norma.

Porém, há algumas desvantagens em estar listado em uma bolsa de valores. Custos significativos associados à listagem em uma troca, como taxas de catalogação e custos mais altos associados à conformidade e relatórios. Regulamentos onerosos, que podem restringir a capacidade de uma empresa de fazer negócios. O foco de curto prazo da maioria dos investidores, o que obriga as empresas a tentar superar suas estimativas de lucros trimestrais, em vez de adotar uma abordagem de longo prazo para sua estratégia corporativa.

Muitas startups gigantescas (também conhecidas como “unicórnios” porque startups avaliadas em mais de US$1 bilhão costumavam ser extremamente raras) como Uber e Airbnb estão optando por ser listadas em uma troca em um estágio muito posterior do que startups de uma década ou duas atrás. Embora essa listagem tardia possa ser parcialmente atribuída às desvantagens, a principal razão poderia ser que startups bem administradas com uma proposta de negócios atraente têm acesso a quantias de capital sem precedentes de fundos soberanos, private equity e capitalistas de risco. Esse acesso a quantidades aparentemente ilimitadas de capital tornaria um IPO e uma troca de títulos muito menos de uma questão premente para uma startup.

Por razões desconhecidas, o número de empresas de capital aberto também está encolhendo devido a complicações do sistema financeiro e critérios que vão dificultando para que empresas continuem listadas na Bolsa.

Índices do mercado de ações

Um índice de mercado é uma medida popular do desempenho do mercado de ações. A maioria dos índices de mercado é ponderada pelo valor de mercado, o que significa que o peso de cada componente do índice é proporcional à sua capitalização de mercado, embora alguns como o Dow Jones Industrial Average (DJIA) sejam ponderados pelo preço. Além do DJIA, outros índices amplamente observados no Brasil e internacionalmente incluem:

  • S&P 500
  • Nasdaq Composite
  • Índices de Russell (Russell 1000, Russell 2000)
  • Composto TSX (Canadá)
  • Índice FTSE (UK)
  • Nikkei 225 (Japão)
  • Dax Index (Alemanha)
  • Índice CAC 40 (França)
  • Índice CSI 300 (China)
  • Sensex (Índia)
  • Bovespa (Brasil

Maiores Bolsas de Valores

As bolsas de valores existem há mais de dois séculos. A venerável Bolsa de Nova York tem suas origens em 1792, quando duas dúzias de corretores se reuniram ba Baixa Manhattan e assinaram um acordo para negociar títulos comissões; em 1817, corretores de Nova York operando sob o acordo fizeram algumas mudanças importantes e reorganizaram-se como o Conselho de Valores e Câmbio de Nova York.

A B3 (Brasil, Bolsa, Balcão) é a Bolsa de Valores oficial do Brasil. Surgiu a partir da fusão da Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros de São Paulo (BM&FBOVESPA) com a Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos (CETIP). Mas nossa Bolsa de Valores existe desde 1890, surgindo com a Bolsa Livre.

Como funciona o mercado de ações?

A NYSE e a Nasdaq são as duas maiores bolsas do mundo, com base na capitalização de mercado total de todas as empresas listadas na bolsa. O número de bolsas de valores nos EUA cresceu nos últimos anos. No Brasil, a Bolsa de Valores está sempre nos olhos dos investidores internacionais, já que como um país emergente as possibilidades de crescimento – e valorização dos investimentos – são grandes.

Esperamos não ter deixado qualquer dúvida sobre a Bolsa de Valores brasileira. Caso tenha ficado alguma dúvida, deixe nos comentários suas perguntas!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)